Farmácias entram na justiça contra bloqueio de contas do WhatsApp

Farmácias entram na justiça contra bloqueio de contas do WhatsApp

Desde o dia 3 de outubro, farmácias de manipulação de todo o país estão sendo surpreendidas com o bloqueio e banimento de seus números no WhatsApp Business. O fato intensificou-se nos últimos dez dias, o que motivou a Associação Nacional dos Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag) a entrar com uma ação coletiva contra o Facebook, proprietário do aplicativo.

Farmácias entram na justiça contra bloqueio de contas do WhatsApp“Recebemos uma solicitação judicial para que seja feito um levantamento de todas as farmácias e os respectivos números de telefone que tiveram as contas bloqueadas ou banidas. Em nossa sondagem preliminar, contabilizamos um total de 500 estabelecimentos prejudicados e o número tende a aumentar”, afirma Marco Fiaschetti, diretor executivo da Anfarmag.

De acordo com o executivo, as suspensões das contas estão impactando negativamente todo um setor. “As farmácias realizam um trabalho fundamental para a saúde da população, em conformidade com as normas da Anvisa e das demais autoridades. O maior prejudicado é a sociedade, que perde um importante canal de comunicação para a realização de orçamentos e  orientação sobre o uso correto do produto prescrito aviado pela farmácia”, ressalta o executivo.

As farmácias alegam ainda falta de transparência do Facebook ao executar a recente decisão sem nenhuma notificação prévia. “Isso está gerando prejuízos incalculáveis para os clientes, que, de uma hora para outra, perderam a conexão conosco”, relata o farmacêutico e proprietário da Farmácia Biológica, em Cuiabá, Célio Fernandes. “Desde então, tenho buscado entender o que houve, mas não obtive nenhuma resposta oficial”, completa. A categoria “Negócios” do software foi justamente desenvolvida com recursos para empresas automatizarem, classificarem e responderem rapidamente as mensagens de clientes.

A Anfarmag também informou que já está em interlocução com órgãos de defesa e direitos do consumidor. “Estamos fazendo uma análise dos indicadores para verificar possíveis prejuízos junto aos nossos associados, uma vez que ao nosso ver o fato cabe indenização e posteriormente vamos buscar essa reparação”, finaliza Fiaschetti. Procurada pela reportagem, a assessoria de comunicação do Facebook limitou-se a encaminhar um link com diretrizes e políticas de uso da plataforma. Farmácias

As Farmácias Associadas, rede com 884 lojas em 287 cidades, também relataram problemas semelhantes à redação. Segundo a empresa, foram notificados problemas com oito associados do Rio Grande do Sul e cinco do Mato Grosso do Sul.

Fonte: Panorama Farmacêutico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.